O valor da discrição

Você já se flagrou dizendo palavras amargas a respeito de uma pessoa?

Ou, ao notar as falhas de alguém, sentiu-se no direito de julgá-lo e contar o que descobriu para outras pessoas?

Frequentemente esquecemos que as pessoas que nos cercam – até mesmo aquelas que nos lideram e que são nossas referências – não são perfeitas. Pelo contrário, elas também falham, possuem inúmeros defeitos e, sendo assim, necessitam, como todos nós, da misericórdia e do perdão divinos.

Quando não somos cuidadosos com as nossas palavras, acabamos dizendo coisas inadequadas sobre aqueles que Deus nos orientou a amar. Outras vezes, acabamos expondo as faltas daqueles que estão em posição de autoridade espiritual. E, ao fazer isso, geramos divisão em nosso meio.

É por esse motivo que o Senhor Jesus nos orientou a filtrar todas as nossas palavras e a sermos discretos em relação aos pecados alheios, não porque aprovamos as atitudes erradas de nossos semelhantes, mas para que o diabo não consiga nenhuma vitória às custas dos seguidores de Cristo.

Se você se identificou com esse texto, leia conosco os capítulos “A submissão” e “A discrição” do livro “Nos Passos de Jesus”, e descubra como ser uma pessoa mais discreta em relação às falhas do seu próximo.

E não deixe de escrever aqui nos comentários como tem sido a sua experiência com a indicação de leitura desse bimestre.

Related Posts

Comentários (2)

Raissa Silva dos passos

No livro nos passos de Jesus a parte que mais me chamou atenção é quando fala sobre o explemo sobre expor a “nudez” no capitulo da discrição, achei muito forte

Olá, Raissa : )
Realmente, esse trecho é muito forte.
Obrigada por compartilhar com a gente.

Comentar para Raissa Silva dos passos Cancelar resposta