Seja feita a Tua vontade

Você já precisou renunciar a algo que amava porque não era do agrado de Deus?

Já sentiu a amargura de ter que sacrificar a própria vontade, um sonho, o planejamento de uma vida? Já olhou para as circunstâncias e sentiu que o Senhor havia lhe desamparado?

Se você já se sentiu dessa forma, gostaríamos de lembrá-lo que há mais de 2000 anos, o Senhor Jesus sentiu algo muito semelhante diante da iminência do sacrifício. Mesmo sem ter cometido pecado algum ou qualquer engano ter sido achado em sua boca, Ele abriu mão de sua vontade para cumprir a de Seu Pai, mesmo que esta significasse o sacrifício de sua vida.

Então, todos os pecados, iniquidades, dores, crimes de todas as gerações da humanidade recaíram sobre o Único que era inocente. Com todo esse fardo sobre si, Ele caminhou até o Calvário, onde foi sacrificado. O Filho foi considerado culpado para que fôssemos absolvidos, separado do Pai para que jamais precisássemos viver distantes dEle.

E isso nos leva a pensar que se na guerra que teve início no Céu, Deus não poupou o Seu próprio Filho, por que nós seríamos poupados? Se aquele pelo qual o mundo foi criado, não rejeitou o amargo cálice do sacrifício, por que nós deveríamos rejeitá-lo? Se Ele disse: “Seja feita a Tua vontade”, por que o mesmo não deveria ser pronunciado por nossos lábios?

Se você deseja fazer a vontade de Deus, ainda que ela custe toda a sua vida, não deixe de ler o capítulo “Numa guerra, ninguém é poupado”, do livro “Como vencer suas guerras pela fé”.

Como tem sido a sua experiência em nosso clube de leitura? Compartilhe aqui nos comentários.

Related Posts

Comentários (1)

Só verdades, precisamos nos santificar mesmo para mantermos a comunhão com Deus.

Deixe um comentário